• 97 FM
  • 97 FM
  • 97 FM
Jovem foi cruelmente assassinada
Michele Silva, 25 anos, que tinha uma filha de três anos, foi assassinada a facadas e estuprada em sua residência, situada à Rua Seis, bairro Ipê Amarelo II, por volta das 23h do ultimo domingo, 13. O corpo foi encontrado no outro dia, às 17h15. Segundo investigações da PC, o crime foi praticado por um jovem de 16 anos, usuário de drogas, preso pouco tempo depois de a jovem ser encontrada.

Graças a um belo trabalho dos agentes civis, outras três pessoas também foram presas, acusadas de receptação, ou seja, de terem comprado objetos que supostamente foram roubados pelo menor logo depois do assassinato de Michele.

Para o delegado Cleisson Rodrigo Brene, o esforço da equipe de agentes civis, foi fundamental para que o crime fosse esclarecido de forma tão rápida.

De acordo com o delegado, o menor será apresentado ao Ministério Publico e quanto aos maiores, o mesmo tem 10 dias para concluir o inquérito policial.

O pai do menor, 39 anos, que é evangélico, declarou que o filho chegou a passar em casa e dizer que tinha praticado o crime. “Estava usando minhas roupas, porque não tinha mais, dava em troca de droga”, lamenta o pai do menor.

O inspetor da policia civil em Frutal, Juliano Ferreira Costa, reconhece que o sucesso na apreensão rápida do menor e na prisão dos três envolvidos com a receptação dos objetos levados da residência da vitima, só foi possível graças ao esforço de sua equipe e  à ajuda da comunidade.

Em depoimento a delegacia, o menor disse que, após deixar o quarto repleto de sangue nas paredes, cama e no chão, com a vítima morta ao solo, entrou várias vezes na casa durante a noite para levar os objetos. Ele revendeu um DVD, uma TV e um celular aos receptadores.